Caros companheiros e companheiras da Fiocruz,

No momento em que iniciamos a última etapa da campanha para Presidente da Fiocruz, cumprimento mais uma vez os trabalhadores de toda a instituição. Nesta carta quero destacar o que de mais precioso vivi durante esse período. Foi um caminho construído coletivamente, com respeito, escuta, partilha, confiança e transparência em prol da cidadania plena, do desenvolvimento sustentável e do protagonismo da nossa Fundação.

Estivemos juntos nos mais diversos espaços da nossa instituição. Em cada debate e em cada visita estava presente o comprometimento dos trabalhadores com as causas da cidadania plena e com o desenvolvimento sustentável e socialmente responsável.

Ao longo de sua trajetória essa instituição secular já atravessou períodos difíceis, mas sempre conseguiu superar as adversidades, pois desde os primórdios conta com um corpo de profissionais altamente qualificados e engajados. Competências políticas, cientificas, acadêmicas e técnicas não nos faltam e elas são parte fundamental e essencial da nossa história.

Assim, com a contribuição de todos, elaboramos um programa solidário, representado pela defesa e ampliação dos direitos sociais.  Situada em um ponto de confluência entre a saúde pública, a ciência e a tecnologia, a Fiocruz ocupa uma posição estratégica na definição de um projeto nacional inclusivo, empenhado no futuro digno de todos os brasileiros e brasileiras. E essa visão esteve presente nos debates da nossa campanha, reafirmando compromissos que se expressam na pesquisa, no desenvolvimento tecnológico, no ensino, nos serviços de referência, na comunicação, na produção e nos diferentes produtos decorrentes das nossas atividades.

Na interação com os diversos grupos foi possível ouvir sugestões, pois as equipes buscam a renovação de processos de trabalho que requerem mais participação, interação e integração em suas atividades. Nesses encontros foi possível conhecer e debater sobre possibilidades de compartilhamento, articulação e busca da coesão interna, capazes de aperfeiçoar de forma permanente as nossas práticas de gestão e comunicação institucional. E isso no dá energia para ousar na direção de uma instituição cada vez mais dialógica, transparente e comprometida com a equidade.

Nessa perspectiva, integração e unidade devem caminhar juntas para a superação de problemas que são inerentes a instituições dinâmicas como a Fiocruz. É verdade que estamos em um momento de dificuldades econômicas e políticas, que se expressam no plano local, nacional e também internacional, mas isso também nos desafia a fazer mais com menos, pois já tivemos que fazer isso outras vezes antes. Tal realidade impõe a todos nós a necessidade de melhorar a nossa capacidade de negociação e de condução política. O momento exige, portanto, experiência, criatividade, vigor e responsabilidade, mas também disposição para o diálogo, para que possamos estabelecer novas parcerias em prol do nosso horizonte comum: elevar os padrões de saúde pública dos brasileiros e, se possível, de outros povos em solidariedade.

Estamos aqui para afirmar que a saúde tem um lugar central e prioritário nas discussões sobre o futuro do país, e que a missão da Fiocruz sempre será a defesa da saúde como direito do cidadão e dever do Estado. E fazemos isso também celebrando a nossa democracia, que precisa ser valorizada e respeitada.

Sinto-me, prezados colegas, especialmente agradecida pelas colaborações e apoios recebidos, uma vez que somos herdeiros de uma tradição de luta e comprometimento com o povo brasileiro e temos nessa instituição espaço para a construção de um projeto institucional que fará toda a diferença nos próximos anos.

Já somos parte desse empreendimento coletivo que resultou numa plataforma que foi construída com muitas mãos. Convido a todos os trabalhadores a seguirmos juntos nessa caminhada que já começou.

Eu conto com você para tornar a plataforma CONSTRUÇÃO DE TODOS a nossa realidade, porque o novo sempre vem.

                                  

Abraços,

Nísia Trindade