Debate lota o IFF e Nísia fala do papel dos institutos

Em auditório lotado, Nísia Trindade participou ontem, no Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), do segundo debate entre as candidatas à presidência da Fundação.  Destacamos as propostas para seu ponto 4: Promover a qualidade e a integração na atenção, na vigilância e na promoção à saúde, divididos em 4 eixos: Consolidação do Papel dos Institutos Nacionais, Valorização dos Trabalhadores, Qualidade da Atenção, Integração e Visibilidade.

Debate

Nísia deu início a sua apresentação exibindo dados da Pesquisa de Reputação da Fiocruz, realizada em 2015. “Essa pesquisa nos revelou informações concretas sobre a percepção dos vários segmentos da sociedade e do controle social sobre o nosso trabalho, sendo que entre os pacientes alcançamos maior grau de excelência e desempenho em produtos, serviços, ciência e inovação, como também em empatia e acolhimento. Por isso reforço a importância de nossos esforços no campo da atenção e da assistência, e sua interface com todas as outras áreas de nossa instituição, como fundamentais para a nossa reputação”.

Alinhando os resultados da Pesquisa de Reputação da Fiocruz ao macroprojeto do VI Congresso Interno da Fiocruz no campo da assistência, que aborda o papel dos institutos nacionais (IFF e Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, o INI), do Centro de Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp) e dos ambulatórios do Instituto Oswaldo Cruz, Nísia reforçou o destaque da atuação da Fundação junto ao Sistema Único de Saúde (SUS) e do sistema de C&T e Inovação em benefício da sociedade.

“O papel dos institutos é fundamental para a saúde e a qualidade de vida, a formulação e implementação nacional de políticas e programas e de diretrizes clínicas que qualificam a atenção à saúde e o enfrentamento de emergências sanitárias, como nos casos recentes de ebola e de zika. Por isso o IFF e o INI têm um papel de destaque tanto na dimensão da assistência, como da pesquisa e da formação de recursos humanos para o país”, ressaltou Nísia.

A construção do complexo dos institutos, em fase de aprovação em diversas instâncias do poder público, ganhou destaque na fala de Nísia. “Nossos institutos são muito mais do que a ideia de um novo prédio. A valorização dos trabalhadores, a qualidade da atenção, a relação com os pacientes têm se intensificado. Mesmo assim, adianto que estamos avançando, pois tivemos ontem mesmo publicado no Diário Oficial do Município a liberação no relatório de impacto do projeto na vizinhança”, antecipou.

Para finalizar a apresentação de abertura, Nísia destacou o compromisso da candidatura com a consolidação do complexo dos institutos nacionais e a ampliação do papel dos institutos na formação de recursos humanos para o SUS. “Faremos uma avaliação demográfica e epidemiológica para a agenda da pesquisa dos próximos quatro anos e vamos implantar o adicional de plantão hospitalar, valorizando o trabalho e o papel da atenção como fundamentais para a construção da Fiocruz do futuro”. Assista ao vídeo completo do debate na nossa fanpage. 

Veja a apresentação completa da Nísia e as propostas para os Institutos