Dia da consciência negra: não devemos aceitar nenhuma discriminação

Hoje é o dia nacional de consciência negra - Dia de homenagem a Zumbi, o último líder do Quilombo dos Palmares, "quero deixar aqui minha manifestação de apoio a todos que lutaram e lutam contra as discriminações, por direitos iguais e justiça social. Não devemos aceitar qualquer tipo de injustiça" , afirma Nísia.

Promover a equidade na instituição, combatendo todas as formas de intolerância e discriminação decorrentes de diferenças sociais, raciais, étnicas, religiosas, de gênero e de orientação sexual. Implica também desenvolver ações afirmativas, que contribuam para reduzir as desigualdades de gênero e de raça 

A Fiocruz é reconhecida por desenvolver pesquisas e formação na área de gênero, raça, cor e orientação sexual, mostrando as iniquidades e preconceitos existentes na sociedade brasileira. Assim como tantas outras, também somos uma instituição que reflete estas desigualdades e temos que continuar a desenvolver ações inovadoras para enfrentar estas questões no mundo do trabalho. Importantes avanços na instituição, como a criação do Comitê Pró-equidade de Gênero e Raça tem por finalidade lutar contra essas desigualdades e reforçar a importância do respeito às diferenças.

Leia mais sobre as propostas para essa área