Uma semana de campanha: encontros, debates e clima de muita alegria

A primeira semana de campanha de Nísia foi marcada pela participação de trabalhadores e estudantes da Fiocruz, encontros para apresentar suas propostas e manifestações de apoio vindas de todas as unidades da Fiocruz. Já na abertura da campanha, na manhã de segunda-feira, tivemos panfletagem da carta-compromisso de Nísia nas portarias, em clima de confraternização, que iria se repetir em várias unidades.

No mesmo dia, Nísia participou de reunião na Casa de Oswaldo Cruz, sua unidade de origem, e destacou a importância da Fundação para a sociedade. Por isso, disse ela, a “construção de todos” envolve não só trabalhadores, estudantes e usuários da Fiocruz, mas toda a população, já que é ela o alvo do trabalho da Fiocruz.

No dia seguinte, Nísia iniciou por Belo Horizonte, no Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR/Fiocruz Minas), suas viagens para apresentar sua plataforma de gestão, tendo recebido carta de apoio de mais de 200 profissionais das unidades de fora do Rio. Na quinta-feira, ela foi a Salvador, onde passou o dia no Instituto Gonçalo Moniz e, ao lado do diretor, Manoel Barral Neto, e de pesquisadores e gestores, visitou laboratórios e áreas administrativas.

No último dia 7, de volta ao Rio, a candidata participou de debate, transmitido ao vivo na página de sua campanha no Facebook, na Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV). Nísia afirmou que o momento é fundamental para discutir o projeto institucional “o Poli tem essa tradição de discutir, seja na política educacional, seja no reforço de orientação de políticas para o SUS”. Apresentou sua Carta, destacando a defesa do direito à Saúde e do SUS e a promoção da Ciência, Tecnologia e Inovação em benefício da sociedade. Nísia comentou a reforma do ensino médio proposta na MP 746, afirmando que é preciso manter a coesão e trabalhar em torno do projeto de escola de ensino médio que desejamos “Não podemos confundir a flexibilidade com a segmentação, a escola só para alguns, com a desconstrução da formação ampla no ensino médio. Ela é fundamental para um projeto de país que seja efetivamente inclusivo”, afirmou. “A Fiocruz é importante para se pensar uma sociedade mais inclusiva, onde o direito à saúde conte com a ciência, a tecnologia e a inovação efetivamente em benefício da população”, concluiu, deixando o Poli com o compromisso de um debate com o Grêmio estudantil.

Mario Moreira, do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), elogiou a iniciativa de debater com professores e estudantes não apenas a Fiocruz, mas um projeto para o Brasil. “Muito boa, Nísia, essa possibilidade de debater com o Poli, se fazer conhecida e expor sua visão de Fiocruz, de SUS, de país”, afirmou ele. 

Os apoios a Nísia se repetiram também na página no Facebook (www.facebook.com/nisia2017) e no blog da campanha (http://www.nisia2017.blog.br/) e vieram de vários lugares, como do Distrito Federal, onde o diretor da Fiocruz- Brasília, Gerson Penna, gravou depoimento de apoio à candidata, e da Bahia, de onde
Valdeyer Reis, declarou seu voto.  “Apoiar e declarar voto em Nísia é tradução natural do reconhecimento da sua grande capacidade e habilidade de escuta, seu comprometimento e engajamento com a valorização das pessoas e, principalmente, por acreditar que sua competência e desempenho como gestora são diferenciais críticos para a construção conjunta de uma Fiocruz mais forte”. Os depoimentos chegam também de instituições e parceiros de fora da Fiocruz, apontando para a importância de termos uma Fiocruz forte, integrada e unida para lidar com um contexto nacional e internacional dos mais difíceis em nossa história:

“ A Fiocruz é um patrimônio da sociedade brasileira, do qual se orgulham seus trabalhadores, estudantes, usuários dos serviços e o conjunto da população.

Nosso projeto institucional tem como bases: 1) ser uma instituição pública de Estado no campo da ciência, tecnologia e inovação em saúde; 2) contribuir para o fortalecimento e a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS); 3) servir à sociedade promovendo a saúde, a qualidade de vida e o desenvolvimento em bases socioambientais sustentáveis e; 4) contribuir para reduzir as iniquidades sociais. Essas bases têm como valores centrais a defesa do direito à saúde e da cidadania ampla”. (carta-compromisso)

Nísia, que tem como slogan de sua campanha “Construção de Todos”, ressaltou o objetivo de seus encontros com os trabalhadores e estudantes da Fiocruz de construir realmente um programa de gestão que abranja a todos, com o objetivo de valorizar cada um dos que fazem da instituição referência mundial em Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde e, sobretudo, instrumento para levar qualidade de vida e cidadania à população brasileira. “Essa é a nossa Fiocruz, uma construção de todos”.

Encerrando uma semana de campanha, Nísia participou do primeiro debate virtual das eleições Fiocruz, uma inovação que permitiu a interação com trabalhadores, colaboradores e estudantes da Fiocruz e com a sociedade. A experiência deixou claro a importância do uso das redes sociais para as discussões na instituição, com mais de 3000 pessoas que passaram pela transmissão, tendo contado com a participação de mais de  200 pessoas.