Visita de Nísia no ICICT: compromisso com a Comunicação Pública

Nísia debate políticas de Comunicação e Informação em visita ao Icict

A candidata à Presidência da Fiocruz Nísia Trindade Lima visitou uma das unidades com as quais mais dialogou durante sua gestão na Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC/Fiocruz), o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnologia em Saúde (Icict).

O encontro aconteceu na Sala Multimídia do prédio principal da unidade, do campus de Manguinhos, que ficou lotada com trabalhadores do Instituto interessados em conhecer as propostas e apoiar a candidatura de Nísia à Presidência. A conversa na íntegra foi transmitida on-line e pode ser assistida no Facebook da Campanha (https://www.facebook.com/nisia2017/videos/1000884870046508/).

Nísia iniciou o diálogo com os profissionais destacando a importância do Icict para a Fiocruz, e demonstrando os compromissos e propostas da sua plataforma de campanha sintonizadas com as necessidades das diversas iniciativas do Icict e dos seus trabalhadores (presentes nos compromissos 2, 3,6 e 7).

A candidata lembrou do papel de liderança que a Instituição exerce na formação de pessoal qualificado para o desenvolvimento de atividades de Ensino, por meio do PPGICS (Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Informação e Comunicação em Saúde), e a necessidade de assegurar a sustentabilidade dos programas realizados em parceria com o Ministério da Saúde, como Rebec e o Proqualis. Nísia reafirmou também o debate e estabelecimento de diretrizes para a política institucional de Ciência Aberta e o fortalecimento da Comunicação Pública como compromissos de sua plataforma.

Conheça as propostas do compromisso 7: “Promover a informação e a comunicação como fatores estratégicos do desenvolvimento institucional e como direitos da sociedade” (http://nisia2017.blog.br/blog/informacao-e-comunicacao)

A candidata também trouxe para o diálogo alguns projetos estratégicos do Icict que contaram com o apoio orçamentário da VPEIC durante a sua gestão, como o Edital da BVS (Biblioteca Virtual em Saúde); o Selo Fiocruz; jornalista para o Portal Fiocruz; e a implantação de Política do Acesso Aberto e do Arca, além da realização da Conferência. Segundo ela, a diversidade de iniciativas abrigadas no Instituto reafirma a grande riqueza que a Fiocruz possui, mas é necessário que haja convergência entre elas.

Para os trabalhadores, a candidata trouxe alguns desafios, como o de renovação da Fiocruz (lacuna entre profissionais aposentados e novos concursados), e propostas, como as de implantação do Reconhecimento de Resultado de Aprendizagem-RRA; criação do Banco de Talentos e de Mobilidade da Fiocruz; estabelecimento do Núcleo de Acessibilidade; e a qualificação e ampliação da rede de enfrentamento do assédio moral e sexual. “Tem que ter uma coerência entre nossa defesa pública de ideias e nossas práticas profissionais”, defendeu.

Durante o encontro, a candidata ressaltou a visão que tem do lugar estratégico que a instituição ocupa na sociedade. “O papel da Fiocruz é na afirmação de Direitos e também na construção de projetos que, mais do que a retórica de defesa, permitam que aqueles direitos que a gente quer ver alcançados se realizem”, afirmou. Nísia declarou ainda que, embora seja uma instituição de Estado, a Fiocruz é vinculada ao governo e deve buscar se fortalecer diante do cenário atual, de resistência.

Ao final da visita, o diretor do Icict, Umberto Trigueiros, fez um depoimento, deu sugestões para a futura gestão da Presidência e declarou publicamente seu apoio à candidata. “Você sempre teve uma posição independente, de dentro da instituição, com sensibilidade para acatar ações para melhorar que não estavam consensuadas”, disse. Outros pesquisadores do instituto também quiseram manifestar seu apoio à candidatura. “Não temos que ter medo da continuidade. Quero continuar tendo orgulho de ser Fiocruz”, declarou a pesquisadora Dália Romero. Nísia agradeceu a tomada de posição, especialmente diante do “delicado momento que a gente vive no País e na Instituição”: “Não é momento de neutralidade”.